VEJA NOSSOS ÁLBUNS DE FOTOS NO NOSSO FACEBOOK: facebook.com/gruporenascercamocim

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A visão da ciência sobre a fé: o que dizem os mais recentes estudos sobre o tema

A visão da ciência sobre a fé: o que dizem os mais recentes estudos sobre o temaA fé e a ciência quase sempre traçam rotas de colisão, e não são raras as tentativas de pessoas renomadas de ambos os lados que buscam impor uma visão sobre o assunto.
Os debates, intermináveis, são vistos de diversos ângulos. Michael Shermer, psicólogo norte-americano, acaba de lançar um livro intitulado “Cérebro e Crença”. Em sua publicação, Shermer alia a necessidade do cérebro em ter crenças no sobrenatural ao instinto de sobrevivência: “O cérebro conecta pontos em busca de padrões, mas nem sempre distingue o que é real. É como se estivesse programado para crer em qualquer coisa por precaução”, afirma o psicólogo.
Segundo estudos realizados sobre o tema apontam para uma afirmação científica de que o cérebro humano é tendencioso a criar padrões e generalizações: “Há grupos de neurônios responsáveis por criar espécies de protótipos internos. Logo que vemos um objeto, não processamos todas as informações, mas tentamos encaixá-lo nesses protótipos”, explica o filósofo João de Fernandes Teixeira, professor da Universidade Federal de São Carlos, em entrevista à revista Galileu.
Os cientistas afirmam ainda que diversos fatores podem influenciar na forma como o indivíduo se envolve e se apega às crenças. Dentre os principais, estariam graus de inteligência, idade, instrução – no sentido de formação escolar, e gênero (masculino ou feminino).

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Fé e Cura



                Quando lemos os relatos das curas realizadas por Jesus vemos que existe um padrão comum: a fé. As curas não aconteciam em virtude da fé de Jesus, e sim pela fé de quem pedia.
                Quando existia esta confiança no poder de Jesus, a cura era liberada. Em Mt 9,28-30 temos um deste testemunhos:"Jesus entrou numa casa e os cegos aproximaram-se dele. Disse-lhes: Credes que eu posso fazer isso? Sim, Senhor, responderam eles.Então ele tocou-lhes nos olhos, dizendo: Seja-vos feito segundo vossa fé. No mesmo instante, os seus olhos se abriram." Estes cegos estavam convictos do poder de Jesus para curá-los, e, por isso, não permitiram que nada os impedisse de encontrá-lo. Aí esta apresentada a fé em ação.
                Quando somos movidos pela fé, nada nos impede de chegar a Jesus, porque no coração temos a certeza de que somente Ele tem a solução,para todas as nossas necessidades.
                Este mesmo padrão o encontramos na cura de um paralítico, relizada por São Paulo em Atos 14,8-10: "Em Listra vivia um homem aleijado das pernas, coxo de nascença, que nunca tinha andado. 9. Sentado, ele ouvia Paulo pregar. Este, fixando nele os olhos e vendo que tinha fé para ser curado, 10. disse em alta voz: Levanta-te direito sobre os teus pés! Ele deu um salto e pôs-se a andar." A cura aconteceu porque o paralítico tinha fé para ser curado!
                É urgente crescer na fé para ser curado.
                Como crescer na fé?

Sarney afirma ter 'pena do homem que não acredita em Deus'


José Sarney
Senador critica ação pela
retirada de Deus do real
Ao criticar o pedido do MPF (Ministério Público Federal) em São Paulo à Justiça para que determine a supressão da frase “Deus seja louvado” das cédulas do real, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), na foto, afirmou ter “pena do homem que na face da Terra não acredita em Deus".

Para ele, “é falta do que fazer” querer retirar a expressão das cédulas, porque “precisamos cada vez mais ter a consciência da nossa gratidão a Deus por tudo o que fez por todos nós humanos e criação do universo”.

Por isso, no entendimento do senador, “não podemos jamais perder o dado espiritual”.

Foi Sarney quem, em 1986, como presidente da República, mandou colocar a frase nas cédulas.

Com informação das agências. 



Jovens de Fortaleza fazem Hougunt com integrante do COL



Rumo a Jornada Mundial da Juventude jovens católicos lançam mão das novas tecnologias para estreitar comunicação.
Jovens que participarão do encontro Rumo a Jornada Mundial da Juventude Rio2013 neste sábado, dia 17, no Centro de Pastoral Maria da Mãe da Igreja , farão  um Hungout (recurso do Google+ que nos permite fazer vídeo conferência com até 10 pessoas) com Pe. Jefferson Gonçalves - Diretor do Setor Pré-Jornada da JMJ Rio 2013.   
A organização do encontro de formação espera receber mais de cem lideranças que trabalham com a evangelização da juventude na Arquidiocese de Fortaleza. Pe. Jefferson é membro do Comitê Organizador Local (COL) da JMJ e partilhará sobre como anda os trabalhos de preparação para este que é um dos maiores eventos do planeta, além de responder a perguntas dos presentes.
 Na pauta, a construção da Semana Missionária de Fortaleza, evento que acontecerá de 18 a 20 de julho de 2013 e receberá uma média de seis mil peregrinos de outros países na Arquidiocese de Fortaleza em preparação a JMJ que contará com a presença do Papa Bento XVI.

Papa fala acerca das três vias de acesso ao conhecimento de Deus.


Hoje, diante de milhares de fiéis e peregrinos o Papa Bento XVI concedeu, na Sala Paulo VI, a Audiência Geral das\ quartas feiras.papa.JPG
Na ocasião, o Papa propôs a meditação acerca das três vias de acesso ao conhecimento de Deus. Vias que podem abrir o coração do homem ao conhecimento do Senhor, sinais que conduzem em direção a Ele.
A primeira dessas vias é o mundo, ou seja, a ordem e a beleza da criação nos levam a descobrir Deus como origem e fim do universo.
A segunda via é o homem. Com sua abertura à verdade, seu sentido de bem moral, sua liberdade e a voz da consciência, sua sede de infinito, o homem se interroga sobre a existência de Deus e descobre que somente Nele pode existir.
A seguir o Pontífice tratou da terceira via: a fé: quem crê está unido a Deus, aberto a sua graça, à força da caridade. Um cristão ou uma comunidade que é fiel ao projeto divino, se constitui num caminho privilegiado da existência e das ações de Deus para os indiferentes ou para os que duvidam. O Cristianismo, antes de ser uma moral ou uma ética, é a manifestação do amor que acolhe a todos na pessoa de Jesus.audiencia.jpg
Essas vias, explicou o Santo Padre, nos levam ao conhecimento da existência de uma realidade que é a causa primeira e o fim último de tudo. Na realidade, continuou o Papa, o homem, separado de Deus, está reduzido a uma única dimensão, a horizontal, e justamente este reducionismo é um das causas fundamentais dos totalitarismos que tiveram consequências trágicas no século passado, como também da crise de valores que vemos na realidade atual.
Ignorando a referência a Deus, ignora-se a o horizonte ético, para deixar espaço ao relativismo e a uma concepção ambígua da liberdade. Se Deus perde a centralidade, ensinou Bento XVI, o homem perde o seu lugar correto, não encontra mais o seu espaço na criação e nas relações com os outros. (JS)

A Reforma protestante, embora religiosa, causou a secularização do mundo ocidental, afirma historiador.


Jornal Europa. A tradução é de Moisés Sbardelotto
Ocidente secularizado? Culpa de Lutero
A Reforma protestante, embora fosse uma reforma religiosa, causou a secularização do mundo ocidental: isso com base na decisão dos reformadores religiosos do século XVI de se livrarem de uma cultura filosófica e teológica (a aristotélica e tomista), em nome de um sistema teológico baseado na Bíblia, que abriu as portas a um extremo pluralismo teológico e confessional que, ao longo do tempo, obrigou o Ocidente a se tornar indiferente com relação à questão da verdade.
A opinião é de Massimo Faggioli, doutor em história da religião e professor de história do cristianismo da University of St. Thomas, em Minneapolis-St. Paul, nos EUA.
O catolicismo contemporâneo se debate, especialmente no ano do 50º aniversário do Concílio Vaticano II, com a questão da relação com a modernidade: para alguns era a hora de que ocorresse o encontro entre cristianismo e mundo moderno; para outros, a decisão do cristianismo e da Igreja Católica em particular de se abrirem à modernidade foi a decisão mais grave e desastrosa dos últimos cinco séculos.

Deus no Big Bang? Teólogos, Filósofos e Físicos conversam sobre a pergunta.


Fonte: Religión Digital
 
A descoberta do Bóson de Higgs está tão fresca que a exibição no museu da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (Cern) ainda não se atualizou. No trabalho exposto – um curta-metragem que projeta imagens do nascimento do Universo numa enorme tela – o narrador pergunta: “Encontraremos o bóson de Higgs?
Agora que finalmente foi visto – uma descoberta científica que nos aproxima mais do que nunca dos primeiros momentos após o Big Bang , a Cern abriu suas portas para eruditos que assumem um enfoque muito diferente para a pergunta a respeito da forma como se criou o Universo.

Em outubro, um grupo de teólogos, filósofos e físicos se reuniu dois dias, em Genebra, para falar sobre o
Big Bang.

O que aconteceu quando pessoas de tão diferentes visões do Universo se sentaram para discutir?

“Dei-me conta de que era necessário discuti-lo”, disse Rolf Heuer, diretor geral da Cern. “Precisamos, como cientistas ingênuos, discutir com filósofos e teólogos o tempo anterior ao Big Bang”.

A primeira pessoa a propor a teoria do Big Bang foi um sacerdote católico, Georgs Lemaitre, que também era professor de física na Universidade Católica de Lovain. Em 1931, num trabalho acadêmico, propôs que o Universo em expansão deveria ter se originado num ponto finito no tempo. Para ele, os seus interesses religiosos eram tão importantes como a sua ciência, como presidente da Academia Pontifícia de Ciências, de 1960 até a sua morte, em 1966.

Charles Darwin, de quem se pode dizer que deflagrou o debate da religião versus ciência, lutou com sua própria fé. Darwin cresceu na fé anglicana e em seus diários de exploração, em seu barco, o Beagle, referiu-se a si mesmo como “bastante ortodoxo”. Em sua autobiografia, Darwin escreveu: “O mistério do princípio de todas as coisas é insolúvel para nós; e de minha parte devo me conformar em permanecer como agnóstico”.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

CNBB apresenta versão oficial da tradução do Hino do Ano da Fé



Após um cuidadoso trabalho de tradução e revisão, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulga a versão oficial do Hino da Fé para o Brasil. Trata-se de uma iniciativa das Comissões Episcopais Pastorais para a Liturgia e para a Doutrina da Fé, para que a canção seja usada pela Igreja no Brasil durante este Ano da Fé.

A seguir, reproduzimos o texto enviado pelas comissões, com um breve comentário sobre a canção.
CREIO, Ó SENHOR!
Breve comentário ao hino do Ano da Fé

Conhecemos bem o quanto a música e o canto são importantes para a compreensão e o aprofundamento das ideias, e o quanto são úteis para a divulgação de campanhas e de projetos. Seguindo o convite do Santo Padre, "queremos celebrar este Ano de forma digna e fecunda" (PF, 8). Por isso, o Ano da Fé não poderia ficar sem seu hino. Dele esperamos que ajude a marcar este "tempo de particular reflexão e redescoberta da fé" (PF, 4).

Escultura retrata Bento 16 como papa nazista e pedófilo

Escultura "A Verdade Santa", de Jeff van Weereld
Exposição também tem uma mistura da cruz cristã com suástica
O holandês Jeff van Weereld está expondo em Inverness, Escócia, uma escultura de "arte abstrata" (definição dele) que retrata Bento 16 como nazista e pedófilo.
A escultura "A Verdade Santa" é composta por uma imagem estilizada do papa com a mão esquerda sobre duas crianças e a direta levantada, em uma saudação nazista. Na descrição do site Scotsman, o papa está sexualmente excitado.
Faz parte também da exposição um símbolo nazista que se confunde com uma cruz cristã.
Para cristãos, como Dave Thompson, trata-se de uma “provocação” desnecessária. Ele reconheceu a liberdade de expressão artística, mas, acrescentou, é preciso tomar cuidado para não insultar as pessoas.
Weereld disse que, com a escultura, quer chamar a atenção para a alta incidência de casos de  padres pedófilos, que são acobertados pela hierarquia da Igreja.
Afirmou não ser nenhum segredo que Bento 16 pertenceu à Juventude Hitlerista.
“Os simbolismos da escultura são baseados em fatos”, argumentou.
Com informação do site Scotsman.

Valdemiro pede 10% do salário que os fiéis gostariam de ter


Valdemiro Santiago
Criatividade do pastor fica mais afiada
em final de ano, época do 13º salário  
Valdemiro Santiago (foto), chefe da Igreja Mundial, continua inovando na arrecadação de dízimo. Ele está pedindo na TV e em seus cultos que os fiéis deem em novembro e dezembro 10% do salário ou renda que gostariam de ter em 2013 [ver vídeo abaixo].

O trabalhador que gostaria de ter salário de R$ 3.000 — ele deu um exemplo — vai “devolver” [depositar na conta da igreja] R$ 300 nesses dois meses.

“Acredite naquilo que ainda não aconteceu”, disse aos fiéis. “Deus fez com que Jacó ficasse mais rico que o seu patrão.”

Ele afirmou que os nomes de quem participar dessa campanha serão inscritos no “Livro dos Dizimistas” que será levado ao final de dezembro ao Monte Carmelo, em Israel.

A criatividade de Valdemiro geralmente se expressa ao final do ano, quando os trabalhadores recebem o 13º salário.  Nesta época de 2009, por exemplo, ele inventou o que passou a ser chamado de “trízimo”: 10% para o Pai, 10% para o Filho e 10% para o Espírito Santo.

Arcebispo defende a continuidade de ‘Deus’ em notas do real

Odilo Scherer
Dom Scherer diz que descrentes
não deveriam se importar  
Dom Odilo Scherer (foto), arcebispo metropolitano de São Paulo, criticou a ação que o MPF (Ministério Público Federal) enviou à Justiça Federal solicitando a determinação no sentido de que a expressão “Deus seja louvado” deixe de constar nas cédulas do real.

Em nota, Scherer disse: "Questiono por que se deveria tirar a referência a Deus nas notas de real. Qual seria o problema se as notas continuassem com essa alusão a Deus?"

Argumentou que, “para quem não crê em Deus, ter ou não ter essa referência não deveria fazer diferença. E, para quem crê em Deus, isso significa algo”.

O promotor Jefferson Aparecido Dias, autor da ação, defendeu a supressão da expressão porque o Estado brasileiro é laico e, por isso, não pode ter envolvimento com nenhuma religião, mesmo as cristãs, que são professadas pela maioria da população.

domingo, 11 de novembro de 2012

Comentario do evangelho de Domingo






O blog grupo Renascer traz o comentario do Evangelho todo os Domingo, agora as reflexões serão feitas por nossa irmã Francisca Dourado,  pregadora do Grupo Renascer, RCC  Camocim. A seguir a reflexão deste domingo:
 
 A pobre viúva
Mc 12,38-44


O evangelho de hoje. nos leva a reflexão sobre a hipocrisia da sociedade, da qual fazemos parte, como classe dominante, os poderosos estão agindo com os menos favorecidos, os pequeninos do Senhor.
Usando do poder e do autoritarismo e a custa das camadas mais pobres, eles estão tirando proveito para viverem ricamente, esbanjando o muito e esquecendo dos pobres, dos marginalizados, daqueles que são deixados a margem dessa sociedade hipócrita. Jesus os critica severamente, principalmente porque muitos deles gostam de aparecer  de mostrar que fazem alguma coisa por esses pequeninos do Senhor, dando sobras daquilo que resta e que não serve mais .
Por outro lado, Jesus nos apresenta que a verdadeira generosidade se manifesta no dar além da sobra, como a uma podre viúva que vem ao templo e não dar do que sobra, mas dar tudo que possuía para viver como oferta ao Senhor.
Jesus nos mostra o significado dessa oferta: o que  deve sobressair, falar mais alto num sociedade que acredita em deus são as relações de doação total, de entrega de tudo o que tem em prol de uma sociedade mais humana, justa e feliz. Uma sociedade que proclama Jesus Cristo e vive seus ensinamentos.
Ao Senhor Jesus temos que dá a cada dia a nossa doação plena ao serviço do Reino, servindo-o  na pessoa do nosso irmão  através de uma evangelização completa que busca a justiça e  a dignidade humana.
Louvado seja o nome de nosso Senhor Jesus Cristo!
Que bom Jeus abençoe a toda nossa cidade e nosso povo. Até a próxima
Texto e Reflexão: Francisca Dourado- pregadora Grupo Renascer Camocim


 

Joseph Ratzinger: uma inspiração religiosa e intelectual



O 2º Simpósio sobre o Pensamento de Joseph Ratzinger, que traz como tema: “Humanização e Sentido da Vida”, teve sua cerimônia de abertura realizada na manhã de quinta-feira, 8 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). A solenidade contou com a presença do arcebispo do Rio e grão-chanceler da Universidade, dom Orani João Tempesta, do reitor, padre Josafá Carlos de Siqueira, do presidente da Fondazione Vaticana Joseph Ratzinger – Benedetto XVI, monsenhor Giuseppe Scotti, do presidente da Comissão Organizadora do Simpósio e bispo auxiliar da arquidiocese, dom Paulo Cezar Costa, do conselheiro da Nunciatura Apostólica no Brasil, monsenhor Gian Luca Perici, do vice-reitor comunitário da PUC-Rio, Augusto Sampaio, do decano do Centro de Teologia e Ciências Humanas da PUC-Rio, Paulo Fernando Carneiro, e do diretor do Departamento de Teologia da PUC-Rio, professor Leonardo Agostini Fernandes.
Num espírito cívico mostrando a unidade entre Brasil e Roma, o Hino Nacional e o Hino Pontifício foram executados, seguidos da apresentação de um vídeo com uma saudação especial do Santo Padre aos participantes, marcando, assim, o início dos trabalhos no Simpósio.
“Saúdo os Reitores, Professores, Autoridades e estudantes das diversas Universidades que, no Rio de Janeiro, começam o Simpósio sobre “Humanização e Sentido da Vida”. Em um mundo em rápida mudança, é preciso ajudar o homem a descobrir, juntamente com o sentido da vida, a própria arte de viver. Faço votos de que os trabalhos destes dias mostrem como a razão, iluminada pela fé, é capaz de alargar o seu horizonte para enfrentar, com alegria, os grandes desafios da vida”, afirmou Bento XVI.

Um filme dedicado a Gianna Beretta Molla



No salão do Santuário da Divina Misericórdia, em Cracóvia-Lagiewniki, foi lançado o documentário A Santa da Vizinhança, sobre a pessoa e a vida de Santa Gianna Beretta Molla, canonizada em 2004 pelo beato João Paulo II.
A parte principal do filme mostra não só a história da mãe que sacrificou a vida para dar à luz uma menina, mas também os testemunhos de pessoas cuja vida mudou depois de conhecê-la. Entre os testemunhos, o do marido Pietro e dos filhos Pier Luigi, Laura e Giovanna Emmanuela.
 
O valor da produção se manifesta no material de arquivo, disponibilizado pela família da santa italiana, que dá ao filme uma dimensão íntima e pessoal.
 
Os autores do filme são o diretor Miroslaw Krzyszkowski e Piotr Gsior, da edição diocesiana de Cracóvia do semanário Przewodnik Katolicki.
 
O filme é uma homenagem a Santa Gianna Beretta Molla no 50º aniversário de sua morte e por ocasião dos 90 anos de seu nascimento.
A promoção do documentário foi apoiada pela Associação Polonesa para a Proteção da Vida Humana, liderada pelo presidente Antoni Zieba. Além de Cracóvia-Lagiewniki, o filme será apresentado também em Varsóvia e Poznan.



Por: Zenit

Papa Bento XVI entrará no Twitter no fim do ano.


Jornal do Brasil
O papa Bento XVI deve começar a usar o Twitter para se comunicar com fiéis no final deste ano, segundo autoridades do Vaticano. Porém, um representante já avisou que o papa não deve tuitar com muita frequência, e que as postagens não serão muito diferentes de seus textos e sermões. “Será em uma linguagem adequada, como apontando para sua catequese semanal (ensinamentos) ou o que quer que ele esteja fazendo no dia”, disse o porta-voz.
Bento XVI não deve escrever os twettes, mas aprovará todas as postagens. Ele também não responderá às mensagens. “Vamos torcer para que os seguidores dele retuítem ao invés de responderem, porque eu não imagino o papa sentando para responder tweets”, disse o representante.
No ano passado, o papa Bento XVI enviou seu primeiro Twett pela conta oficial do Vaticano (@news_va_en), durante o lançamento de um novo site. Na época, ele escreveu em seu IPad: “Queridos amigos, acabei de lançar News.va. Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! Com minhas orações e bênçãos, Bento XVI”.

O que acontece depois da morte?


Por Edson Sampel

Os itens abaixo estão baseados na “Carta sobre algumas questões referentes à escatologia”, da Congregação para a Doutrina da Fé, da Igreja católica. 1) Depois da morte, ocorre a sobrevivência e a substância de um elemento espiritual, dotado de consciência e de vontade. Subsiste, assim, o eu humano, enquanto carece do complemento do seu corpo. Este elemento espiritual se chama alma.
2) Aguarda-se a gloriosa manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, considerada, entretanto, distinta e postergada em relação à condição própria do homem imediatamente depois da morte.  Alguns teólogos denominam evo [pronuncia-se évo] esse “tempo” que medeia entre a morte e a ressurreição dos mortos, no juízo final.
De fato, o tempo (com começo e fim) se refere ao homem na terra; a eternidade (sem começo e sem fim) é um atributo exclusivo de Deus e o evo (começa com o óbito e não tem fim), típico do homem, é definido como uma sucessão de atos psicológicos.
3) A ressurreição dos mortos se refere a todo o homem, isto é, corpo alma: para os eleitos não é, senão, a extensão da própria ressurreição de Jesus Cristo.
4) A Igreja, em adesão fiel ao novo testamento e à tradição, crê na felicidade dos justos, que estarão um dia com Cristo no céu. Também crê no castigo eterno que espera o pecador, que será privado da visão de Deus, e na repercussão dessa pena em todo o seu ser. Crê, finalmente, em uma eventual purificação para os eleitos, prévia à visão de Deus; de todo diversa, no entanto, do castigo dos condenados. Isto é o que entende a Igreja quando fala do inferno e do purgatório.

DEUS É FIEL

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VISITANTE N°