VEJA NOSSOS ÁLBUNS DE FOTOS NO NOSSO FACEBOOK: facebook.com/gruporenascercamocim

sábado, 18 de setembro de 2010

A mensagem que devemos proclamar

 fonte RCC Brasil

A seção de Formação do portal RCCBRASIL traz, nesta e nas próximas semanas, pregações e homilias ocorridas durante o XXIX Congresso Nacional da Renovação Carismática Católica. São momentos de grande unção e de conteúdos interessantes para nosso crescimento espiritual.
Aproveitando também o período de reflexão que os Bispos do Brasil propõem para este mês da Bíblia, escolhemos a pregação "Proclama a Palavra, anuncia a Boa Notícia", conduzida pelo diretor do Instituto de Formação do ICCRS - Serviço Internacional da Renovação Carismática Católica, Jim Murphy. O americano fala da mensagem do Evangelho e da maneira com a qual devemos levá-la às outras pessoas.
 
O nosso tema hoje é Pregue o Evangelho e anuncie a Boa Notícia. Nos quatro evangelhos, há um tema que é recorrente: Jesus dá poder e o mandato para os seus seguidores proclamarem a Palavra. Em alguns casos, apenas aos 12 apóstolos, em outras aos 72 discípulos. Diferentes Evangelhos falam de uma maneira um pouco diferente, mas a essência está aqui. Ele envia, dá o mandato ao seu povo, para ir e proclamar o seu reino. Ele diz para ensinar e proclamar a Boa Nova. Ele chama os seus seguidores para viver no meio das pessoas às quais ele as envia. Ele também diz que sinais e prodígios sejam parte da proclamação do Evangelho. Ele também nos diz que vai haver desafios, mas nos dá a garantia de que estará sempre conosco. Nos dá o poder no Espírito Santo para realizar esse trabalho.
Mas não nos enganemos a esse respeito: esse chamado não é feito apenas para algumas pessoas. Se você é um cristão batizado, essa é a sua missão. Podemos fazer em circunstâncias diferentes, de maneiras diferentes, mas a proclamação do Reino não é algo opcional. Se você é cristão, esse é seu trabalho.
Então vamos tirar alguns momentos para entender o que é a Boa Nova, o que somos chamados a proclamar. Basicamente, são três elementos:
1. Deus nos ama muito.
Ele não ama apenas os cristãos. Ama tudo o que criou. Ele quer desesperadamente que a humanidade conheça e viva o seu amor.
2. A humanidade se afastou de Deus, mas Ele continua indo atrás dela.
Jesus veio a terra para conduzir o homem de volta ao Pai. Através da sua encarnação, sua vida e ministério, através da sua paixão, morte e ressurreição e da sua glorificação, Cristo tornou possível a nossa volta ao Pai. Não há pecado forte o suficiente para quebrar o amor de Deus. Não há poder na terra ou no inferno que nos separe de Deus, se abraçarmos Jesus.

Lady Gaga faz curso pela internet para realizar casamentos gays .


Seu objetivo é participar do casamento de seus fãs e ser parte de sua felicidade, e para isso está fazendo curso pela internet para ser ordenada ministra religiosa.
-Lady Gaga sempre manifestou o seu apoio a gays e agora pretende se tornar ministra para celebrar casamento entre pessoas do mesmo sexo.
O polêmico New Yorker tem afirmado repetidamente sua defesa pela igualdade de direitos, mas tem agora mais um passo.

Gaga, depois de mostrar o seu entusiasmo para aceitar o casamento gay na Califórnia, decidiu se tornar ministra religiosa ou pastora evangélica para poder realizar casamentos gay. Ela está fazendo um curso on-line, e já está preparando a documentação necessária.
Segundo a própria cantora declarou seu objetivo de ser parte da felicidade de todos os seus fãs, entre os quais inclui grande parte da comunidade gay e acredita que uma boa maneira de fazer isso é participar de suas ligações.
Fonte: Noticias Cristianas.org

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

O grande valor da comunhão espiritual

 
A Igreja convida os divorciados recasados a unir-se a Cristo

A comunhão espiritual é um ato de desejo interior, consciencioso e sério, de receber a Sagrada Comunhão e, mais especificamente, de se unir ao Senhor. Ela pode ser feita por palavras ou por pensamentos interiores que nos levam a uma íntima união com Cristo, e Jesus não deixará de nos conceder as suas copiosas bênçãos.

Nos dias de hoje, pode-se fazer, com frequência, a comunhão espiritual como desejo de maior união e intimidade com Deus ao longo dos dias da nossa vida. Ela é e pode ser o único meio de união e intimidade com Deus para quem, por exemplo, não guardou uma hora de jejum eucarístico, vive numa situação de irregularidade perante a Igreja ou pratica outra religião.

A comunhão espiritual é o caminho para as pessoas que não podem recebê-la sacramentalmente na Missa, "mas podem recebê-la espriritualmente" na hora santa, ao entrar em uma igreja, quando estiver em casa ou no trabalho, ou nas situações de dificuldade pelas quais se passa na vida. "Senhor, que de Vós jamais me aparte" (Jo 6,35), pois, "Quem come deste pão viverá eternamente" (Jo 6,58).

É bom cultivar o desejo da plena união com Cristo através da prática da comunhão espiritual, recordada por João Paulo II e recomendada por santos mestres de vida espiritual (SC,55). Uma visita ao Santíssimo Sacramento é uma boa oportunidade para se fazer essa comunhão.

Mozart ensina-nos uma “consoladora” relação com a morte, afirma Papa.




Wolfgang Amadeus Mozart ensina com sua obra musical que a morte é “como uma chave para atravessar a porta para a felicidade”, explicou Bento XVI, ao participar de um concerto em que se interpretou o Requiem do “sumo músico” de Salzburgo.
O pontífice, confessando que desde a infância sua vida está ligada de maneira particular à música de Mozart, explicou como para o compositor a morte não é algo que provoca medo, mas uma certeza “consoladora”.
O Papa tomou a palavra ao final do concerto em que a Orquestra de Pádua e de Vêneto e o coro “Academia da voz”, de Turim, interpretaram a Missa de Requiem em ré menor K 626, no pátio da residência pontifícia de Castel Gandolfo, como homenagem da Academia Pontifícia das Ciências ao pontífice.
Falando do compositor austríaco, o Papa confessou: “cada vez que escuto sua música, não posso deixar de voltar com a memória à minha igreja paroquial, onde quando era pequeno, nos dias de festa, ressoava uma de suas ‘missas’: no coração sentia que me alcançava um raio da beleza do Céu, e esta sensação eu continuo a experimentar também hoje, toda vez que escuto esta grande meditação, dramática e serena, sobre a morte”.

Nota OFICIAL da CNBB sobre Eleições 2010.

fonte: CNBB
Constantes interpelações têm chegado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB a respeito de seu posicionamento em relação às eleições do próximo dia 3 de outubro.
Falam em nome da CNBB somente a Assembleia Geral, o Conselho Permanente e a Presidência. O único pronunciamento oficial da CNBB sobre as eleições/2010 é a Declaração sobre o Momento Político Nacional, aprovada pela 48ª Assembleia Geral da CNBB, deste ano, cujo conteúdo permanece como orientação neste momento de expressão do exercício da cidadania em nosso País.
Nessa Declaração, a CNBB, em consonância com sua missão histórica, mantém a tradição de apresentar princípios éticos, morais e cristãos fundamentais para ajudar os eleitores no discernimento do seu voto visando à consolidação da democracia entre nós.
Reafirmamos, portanto, o que diz a Declaração: “A campanha eleitoral é oportunidade para empenho de todos na reflexão sobre o que precisa ser levado adiante com responsabilidade e o que deve ser modificado, em vista de um Projeto Nacional com participação popular.
Por isso, incentivamos a que todos participem e expressem, através do voto ético, esclarecido e consciente, a sua cidadania nas próximas eleições, superando possíveis desencantos com a política, procurando eleger pessoas comprometidas com o respeito incondicional à vida, à família, à liberdade religiosa e à dignidade humana. Em particular, encorajamos os leigos e as leigas da nossa Igreja a que assumam ativamente seu papel de cidadãos colaborando na construção de um País melhor para todos.
Confiando na intercessão de Nossa Senhora Aparecida, invocamos as bênçãos de Deus para todo o Povo Brasileiro”.
Brasília, 16 de setembro de 2010
P. nº 0762/10
Dom Geraldo Lyrio Rocha
Arcebispo de Mariana – MG
Presidente da CNBB

Dom Luiz Soares Vieira
Arcebispo de Manaus
Vice-Presidente da CNBB

Dom Dimas Lara Barbosa
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro
Secretário Geral da CNBB

Estudantes católicos americanos fazem protesto pacífico diante de clínica abortista.



O grupo pró-vida “Shield of Roses” (Escudo de Rosas), movimento estudantil do Christendom College, realizou um exemplar protesto pacífico diante da clínica de abortos da “Planned Parenthood” sediada ao norte da Casa Branca, em Washington, D.C.
Participaram no ato estudantes e membros do corpo docente. O grupo rezou e cantou a “Salve Rainha” e a ladainha lauretana, além de outras orações.
Veja vídeo

informações do ato em Catholic News Agency.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

O Evangelho precisa nos transformar

  por padre Fábio de Melo
 
A palavra profética tem o poder de acordar os surdos
É tão fácil a gente cair na religião do mito. O tempo todo Jesus já nos alertava sobre o risco aos ídolos, pois a idolatria é um dos principais problemas religiosos no mundo. Esse é um risco que todos nós corremos, quando a nossa admiração por alguém ou por uma pessoa se torna essencial, colocada acima, em termos de importância, d'Aquele a quem anunciamos. Decepcione-se comigo, mas que a sua decepção comigo não seja uma decepção com Aquele a quem eu anuncio.
Temos de viver uma religião que seja capaz de mexer com as estruturas da nossa consciência a ponto de nos fazer acordar para tudo aquilo para o qual nós dormíamos e não sabíamos que existia dentro de nós. Já estávamos inconscientes e acostumados com o nosso jeito ciumento de amar, com nosso jeito ciumento de possuir as pessoas, achando que isso era amor. Muitos de nós já éramos desonestos nas pequenas coisas e já estávamos acostumados com isso também. Até que um dia uma palavra profética varou as estruturas da nossa vida e nos incomodou.
Uma palavra profética tem o poder de acordar os surdos e aqueles que estão dormindo e que já não escutam mais nada, num sono letárgico ou até mesmo num cumprimento de rituais inférteis, que já não servem de nada para a nossa salvação.
É a continuidade da Santa Missa que nos salva, é a história que fica diferente em cada comunhão comungada, em cada mesa partilhada, em cada confissão realizada, é o que se segue a partir daí que nos salva. O sacramento não é a mágica de um momento, mas é a continuidade da vida que vai sendo incorporada, porque o sacramento aconteceu em nós.
É disso que Jesus fala: “Não venha me dizer o que você fazia antes, não me importa o que você fazia. Importa-me o que você era. O que faz diferença para mim é o quanto a minha Palavra conseguiu transformar o seu coração a ponto de transformá-lo numa pessoa melhor”. De você olhar para trás e dizer: “Antes eu era assim, e pela força da Eucaristia, do Evangelho, do terço, eu mudei” – todas as manifestações religiosas que você pode ter e viver. Você percebe que a sua vida não é mais a mesma, porque você mudou o seu jeito de pensar, modificou o seu jeito de ser.

125 mil pessoas, segundo os dados de Polícia Local, se concentraram nas ruas de Glasgow, no Reino Unido, para receber o Papa Bento XVI


Fonte ACI 
Um total de 125 mil pessoas, segundo os dados de Polícia Local, se concentraram nas ruas de Glasgow, no Reino Unido, para receber o Papa Bento XVI, no caminho à celebração da Eucaristia em Bellahouston Park, um número cinco vezes maior que o de fiéis que receberam João Paulo II nas mesmas circunstâncias.

Assim, o porta voz da Conferência Episcopal para a beatificação do Cardeal Newman, Segundo Jack Valero, explicou à Europa Press que a maior concentração com João Paulo II em Edimburgo teve lugar em Murrayifield e foi de 60 mil pessoas. 
Nesta primeira jornada da viagem do Papa ao Reino Unido, ele pronunciará dois discursos: um, nesta quinta-feira no Palácio de Holyroodhouse ante as autoridades escocesas e a Rainha da Inglaterra e um segundo na homilia da Missa desta tarde no Bellahoueston Park.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Bento XVI inaugurará Fundação João Paulo II para o Esporte na Inglaterra


.- A agenda da viagem papal ao Reino Unido inclui o lançamento da chamada Fundação João Paulo II para o Esporte, uma entidade católica que busca promover os valores esportivos em honra do falecido Pontífice.

Você não acredita em milagres?

A mamãe Kate Oggy, tinha acabado de dar a luz a um casal de gêmeos: Jamie e Emily.Após vinte minutos de nascidos, ocorre um problema e Jamie para de respirar, sendo declarado morto. As enfermeiras então entregam o filho prematuro para que a mãe se despeça. É a chance final de dizer adeus. Kate recebe o filho em seus braços, retira o cobertor que o embrulhava e o segura contra sua pele.
Por duas horas ela se nega a tratar o filho como um cadáver.
Ao invés disso, abraça-o e sussurra para ele o quanto o ama e o quanto ele é especial para todos.

Kate e David com o filho Jamie, após receberem a notícia que ele não sobreviveu ao parto.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Exaltação da Santa Cruz

fonte Canção nova
Se não houvesse a cruz, a morte não teria sido vencida e não teria sido derrotado o inferno

Celebramos a festa da cruz; por ela as trevas são repelidas e volta a luz. Celebramos a festa da cruz e junto com o Crucificado somos levados para o alto a fim de que, abandonando a terra com o pecado, obtenhamos os céus. A posse da cruz é tão grande e de tão imenso valor que seu possuidor possui um tesouro. Chamo, com razão, tesouro aquilo que há de mais belo entre todos os bens pelo conteúdo e pela fama. Nele, por ele e para ele reside toda a nossa salvação, e é restituída ao seu estado original.
Se não houvesse a cruz, Cristo não seria crucificado. Se não houvesse a cruz, a vida não seria pregada ao lenho com cravos. Se a vida não tivesse sido cravada, não brotariam do lado as fontes da imortalidade, o sangue e a água, que lavam o mundo. Não teria sido rasgado o documento do pecado, não teríamos sido declarados livres, não teríamos provado da árvore da vida, não se teria aberto o paraíso. Se não houvesse a cruz, a morte não teria sido vencida e não teria sido derrotado o inferno.
É, portanto, grande e preciosa a cruz. Grande, sim, porque por ela grandes bens se tornaram realidade; e tanto maiores quanto – pelos milagres e sofrimentos de Cristo – tanto mais excelentes quinhões serão distribuídos. Preciosa também porque a cruz é paixão e vitória de Deus: paixão, pela morte voluntária nesta mesma paixão e vitória porque o diabo é ferido e com ele a morte é vencida. Assim, arrebentadas as prisões dos infernos, a cruz também se tornou a comum salvação de todo o mundo.
É chamada ainda de glória de Cristo, e dita a exaltação de Cristo. Vemo-la como cálice desejável e o termo dos sofrimentos que Cristo suportou por nós. Que a cruz seja a glória de Cristo, escuta-O a dizer: Agora, o Filho do homem é glorificado e nele Deus é glorificado e logo o glorificará (Jo 13,31-32). E de novo: Glorifica-me tu, Pai, com a glória que tinha junto de ti antes que o mundo existisse (Jo 17,5). E repete: Pai, glorifica teu nome. Desceu então do céu uma voz: Glorifiquei-o e tornarei a glorificar (Jo 12,28), indicando aquela glória que então alcançou na cruz.
Que ainda a cruz seja a exaltação de Cristo, escuta o que Ele próprio diz: Quando eu for exaltado, atrairei então todos a mim (cf. Jo 12,32). Bem vês que a cruz é a glória e a exaltação de Cristo.
(Dos Sermões de Santo André de Creta, bispo).

Eutanásia? fala-nos nosso inesquecível João Paulo II.


“Num tal contexto, torna-se cada vez mais forte a tentação da eutanásia, isto é, de apoderar-se da morte, provocando-a antes do tempo e, deste modo, pondo fim « docemente » à vida própria ou alheia.
Na realidade, aquilo que poderia parecer lógico e humano, quando visto em profundidade, apresenta-se absurdo e desumano.
Estamos aqui perante um dos sintomas mais alarmantes da « cultura de morte » que avança sobretudo nas sociedades do bem-estar, caracterizadas por uma mentalidade eficientista que faz aparecer demasiadamente gravoso e insuportável o número crescente das pessoas idosas e debilitadas. Com muita frequência, estas acabam por ser isoladas da família e da sociedade, organizada quase exclusivamente sobre a base de critérios de eficiência produtiva, segundo os quais uma vida irremediavelmente incapaz não tem mais qualquer valor.

Educar para quê?

Por: Sofia Guedes
Hoje dia 8 de Setembro, dia dos anos de Nossa Senhora, tive duas reuniões que despertaram em mim uma certeza e confirmaram a minha convicção.  Uma foi logo pela manhã numa  Escola Profissional da nossa zona, onde dou aulas de “Ética cristã” e onde estava reunido todo o corpo docente.
A reunião esteve sempre centrada na dignidade e valorização das alunas, sobre todos os aspectos: académicos, humanos e sociais. Educar para a responsabilidade. Esta escola tem como principais protagonistas alunas e alguns alunos que vêm na sua maioria de famílias desestruturadas, de ambientes violentos e onde a noção de família é tão  vaga que à partida parece difícil congregar .  As minhas aulas são opcionais, pelo que respeitam profundamente as opções mesmo daqueles que não sabem o que é optar ou o que é liberdade.   A nossa tarefa começa logo por aí:  explicar as possibilidades sem impor.
Ao mesmo tempo a escola tem um sistema de apoio  a cada aluna, através de professoras que ajudam e procuram ter um contacto mais  informal com as alunas para as ajudar no seu crescimento como pessoas autónomas e assim torna-las capazes de opções que podem ser determinantes nas suas vidas. Resumindo: um grupo de “pessoas” profundamente interessadas nas “pessoas” e na sua capacidade de serem livres e intervenientes na sociedade onde vivem.

Bispos da Costa Rica: não é justo sacrificar o direito da família por uniões homossexuais



A Conferência Episcopal da Costa Rica dirigiu uma mensagem aos deputados nacionais na que sustentaram que é uma injustiça sacrificar o bem comum e o direito de  familia ante os grupos de pressão que procuram legalizar as uniões homossexuais no país.
A mensagem explica que “o matrimônio não é uma união qualquer entre pessoas humanas. Foi fundado pelo Criador, que o dotou que uma natureza particular, de propriedades essenciais e de finalidades inegáveis” e isto “nos levou a opor-nos, reiteradamente, aos distintos projetos que, aberta ou ocultamente, pretendam equiparar as uniões entre pessoas do mesmo sexo com o matrimônio heterossexual pois, a legalização destas, deforma a percepção dos valores morais fundamentais e menoscaba a instituição matrimonial, como tal”.
Os  bispos advertem que “ao pôr a união entre pessoas do mesmo sexo em igualdade de condições jurídicas às do matrimônio ou à família, o Estado atua arbitrariamente e entra em contradição com seus próprios deveres”.
Depois de recordar que “os homens e mulheres com tendências homossexuais devem ser acolhidos com respeito e evitar, respeito a eles, toda real discriminação”, pedem distinguir entre o respeito a toda pessoa “e o rechaço das práticas homossexuais, como ato objetivamente contrário ao plano de Deus para o ser humano”.

PALVRA DO COORDENADOR

Palavra de Deus e palavras de deuses!!!
por Cassio José

Todo católico sabe, ou ao menos deveria saber, que neste mês a Igreja Católica comemora e celebra a Sagrada Escritura. Procuraremos postar assuntos que se referem a Palavra de Deus para o nosso estudo durante o decorrer deste mês! Isso, na verdade, deveria ser diário e não anual. Prova disso, é que na liturgia DIÁRIA, temos textos extraídos do Antigo e do Novo Testamento. Por tanto, a Igreja vive da Palavra e da Eucaristia. E todo católico deveria fazer o mesmo!!!!!!!!!!
No entanto, vemos um lindo e diabólico espetáculo neste tempo atual. As pessoas estão cegas e não querem acordo com Deus. Muitas palavras estão sendo pregadas e ouvidas, e até, acolhidas. Mas, quando um catequista, um carismático... um sacerdote prega a Palavra, anunciando e denunciando, profeticamente, nos tempos atuais, são poucos os que ouvem e apóiam a Palavra de Deus. E muitos ainda debocham, levantando uma cultura de indiferença religiosa!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Configurar-se com a cruz de Cristo

fonte: Formação do portal RCCBRASIL- pregações e homilias ocorridas durante o XXIX Congresso Nacional

O texto desta semana é o resumo da homilia feita pelo bispo da Prelazia do Marajó/AM, Dom José Azcona. Ele fala sobre a necessidade que temos de nos identificarmos com a cruz de Cristo, para uma real vivência dos ensinamentos Dele.
Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses (Cl 1, 24-28)
“Irmãos: Alegro-me de tudo o que já sofri por vós e procuro completar em minha própria carne o que falta das tribulações de Cristo, em solidariedade com o seu corpo, isto é, a Igreja.
A ela eu sirvo, exercendo o cargo que Deus me confiou de vos transmitir a palavra de Deus em sua plenitude: o mistério escondido por séculos e gerações, mas agora revelado aos seus santos.
A estes, Deus quis manifestar como é rico e glorioso entre as nações este mistério: a presença de Cristo em vós, a esperança da glória. Nós o anunciamos, admoestando a todos e ensinando a todos, com toda a sabedoria, para a todos tornar perfeitos em sua união com Cristo”.

Como avaliar a envergadura moral dos candidatos?

Fonte: Zenit

No processo eleitoral deste ano no Brasil, os cristãos “estão instituindo e mostrando o quanto é decisiva a envergadura moral do candidato, avaliando os valores que definem seus juízos, critérios e suas opções políticas”, afirma o arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo.
O arcebispo considera – em artigo divulgado à imprensa nesta sexta-feira – que “é hora de mudar os rumos com a lupa eleitoral tecida pelos valores cristãos”.
“As eleições deste ano estão levantando, como lupa eleitoral, não apenas os feitos do candidato, mas, sobretudo, sua envergadura moral sustentada por valores irrenunciáveis quando se trata de escolher alguém para representar o povo e governar o Estado.”
“Não basta prometer que vai fazer ou dizer que já fez. Os eleitores, particularmente aqueles que iluminam a sua cidadania com a vivência e a confissão de sua fé cristã, estão convocando, com uma força considerável, toda a sociedade para que use a lupa eleitoral que mostra se o candidato tem cacife moral para a representação a que se propõe”, afirma Dom Walmor.

O Papa conversará, pela primeira vez, com uma mulher sacerdote na Grã Bretanha.

Pela primeira vez na história, um Papa apertará a mão de uma mulher sacerdote: será durante a viagem ao Reino Unido , que Bento XVI realizará na semana que vem. Está previsto um encontro entre o Pontífice e a reverenda  jane Hedges, anglicana e canônica da Abadia de Westminster, e deverá acJane Hedges, canônica anglicanaontecer na sexta-feira, dia 17.
Hedges é uma sacerdote muito comprometida com a campanha pela ordenação de mulheres bispas na Igreja da Inglaterra.
De acordo com a agência de notícias ANSA, replicando uma informação do The Guardian, esta conversa servirá para colocar no ponto de vista as diferenças e dificuldades de uma irmandade entre a Igreja Anglicana e a Católica.

Buscar os católicos afastados


Bispos do Regional Nordeste 3 em visista Ad LiminaAconteceu dos dia primeiro a onze de setembro a Visista Ad Limina dos bispos do Regional Nordeste 3 (Bahia e Sergipe) com o Papa Bento XVI. O encontro acontece a cada cinco anos e serve para indicar a unidade da Igreja Católica em torno do pontifície Romano.
Dia 10, o papa dirigiu a palavra aos bispos. Recordou os mais de quinhentos de evangelização no país e faz uma alerta sobre o crescimento das denominações evangélicas e neo-pentecostais. “Porém, ainda que os valores da fé católica tenham moldado o coração e o espírito brasileiros, hoje se observa uma crescente influência de novos elementos na sociedade, que há algumas décadas eram-lhe praticamente alheios. Isso provoca um consistente abandono de muitos católicos da vida eclesial ou mesmo da Igreja, enquanto no panorama religioso do Brasil, se assiste à rápida expansão de comunidades evangélicas e neo-pentecostais”, disse.
Os motivos para o abandono da fé católica foi apontada por Bento XVI. “Em certo sentido, as razões que estão na raiz do êxito destes grupos são um sinal da difundida sede de Deus entre o vosso povo. É também um indício de uma evangelização, a nível pessoal, às vezes superficial”, indicou o papa. E prosseguiu com direcionamento claro aos bispos, “… a Igreja católica no Brasil se empenhe numa nova evangelização que não poupe esforços na busca de católicos afastados bem como daquelas pessoas que pouco ou nada conhecem sobre a mensagem evangélica, conduzindo-os a um encontro pessoal com Jesus Cristo, vivo e operante na sua Igreja”, conclamou o pontifície.

Os 10 candidatos mais Fichas-Sujas

Fonte: Folha de São Paulo

A Folha de São Paulo publicou no último dia 11 a lista dos dez candidatos mais Fichas-Sujas que disputam estas eleições. Entre eles tem um do estado do Ceará. Confira a lista completa, abaixo. clique em cima para Ampliar


Leia matéria na Folha de São Paulo clicando aqui.
Escrita por: ALINE PELLEGRINI, ELIDA OLIVEIRA, FILIPE MOTTA e FLÁVIO FERREIRA

domingo, 12 de setembro de 2010

Qual o propósito da Bíblia

 fonte: canção Nova
Nenhuma biografia tem transformado tantas vidas como a vida de Jesus
Imagem de DestaqueO fator mais importante – que classifica a Bíblia como o livro mais singular – é a influência que ela tem sobre a vida dos homens. Embora a Sagrada Escritura seja um grande tesouro com respeito à sua contribuição para humanidade em literatura, filosofia e história, o maior valor deste livro se encontra na grande influência que exerce sobre as pessoas. Através de suas páginas o homem se vê exposto à sua verdadeira condição diante de Deus; a Palavra de Deus é como uma espada que penetra até os pensamentos e propósitos do homem e o convence de seus pecados diante do Todo-poderoso (cf. Hb 4:12). "Porque a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração").

Até que ponto você é comprometido com Deus?






"Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando" (Jo 15,14).

O Nosso Deus é um Deus de compromisso, Ele está comprometido conosco 24 horas, Ele tem uma aliança conosco e um compromisso de nos guiar, nos guardar, nos proteger, nos fortalecer, nos curar e nos suprir em todas as nossas necessidades. ”Confiai-lhe todas as vossas preocupações porque Ele tem cuidado de vós” (1 Pe 5,7).

Enquanto meditava sobre fidelidade e compromisso com Deus, o Espírito Santo falou ao meu coração e me trouxe uma reflexão. Quando estamos junto com uma pessoa que amamos muito, usamos uma aliança a qual chamamos “aliança de compromisso” este é um sinal de que amamos e por este amor seremos fiéis e comprometidos com esta pessoa. Quando resolvemos amar a Deus, precisamos elegê-lo como prioridade em nossa vida e manter firme a nossa escolha. Jesus afirmou: “Se me amardes guardareis os meus mandamentos” (Jo 14,15). Não podemos amar somente com sentimentos, mas devemos amar com ações. Não é o bastante saber que somos amados, precisamos de gestos concretos de demonstração de amor para podermos experimentar melhor este sentimento.

A Virgem Maria e o Protestantismo.



As citações abaixo, feitas por Lutero e Calvino, reais fundadores do Protestantismo, e outros teólogos sérios, denotam o verdadeiro respeito, carinho e amor que todo cristão deve nutrir pela Mãe de Jesus:
“Quem são todas as mulheres, servos, senhores, príncipes, reis, monarcas da Terra comparados com a Virgem Maria que, nascida de descendência real (descendente do rei Davi) é, além disso, Mãe de Deus, a mulher mais sublime da Terra? Ela é, na cristandade inteira, o mais nobre tesouro depois de Cristo, a quem nunca poderemos exaltar bastante (nunca poderemos exaltar o suficiente), a mais nobre imperatriz e rainha, exaltada e bendita acima de toda a nobreza, com sabedoria e santidade.”
(Martinho Lutero, “Comentário do Magnificat”, cf. escritora evangélica M. Basilea Schlink, revista “Jesus vive e é o Senhor”).

DEUS É FIEL

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VISITANTE N°