VEJA NOSSOS ÁLBUNS DE FOTOS NO NOSSO FACEBOOK: facebook.com/gruporenascercamocim

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Bíblia: ler o texto dentro do seu contexto


Precisamos conferir as introduções antes de cada livro

A proposta desse artigo é entendermos melhor uma regra de ouro da literatura, qualquer que seja ela: ler o texto dentro do seu contexto. Isso significa vê-lo também como produto de pessoas diferentes e de épocas também diferentes.
Muitas vezes, nos sentimos desencorajados com determinados textos bíblicos por não conseguirmos entendê-los. Quem nunca leu uma passagem bíblica e não apreendeu quase nada do que estava escrito ali? Quem nunca deparou com conceitos muito complicados e muito distantes daquilo que entendemos e vivemos hoje?
Isso acontece porque cada um dos livros da Sagrada Escritura faz parte de um contexto mais amplo, cujos textos foram escritos numa época muito distante da nossa. Dessa forma, a leitura se torna um pouco mais complexa e, não raras vezes, incompreensível, em virtude de uma distância temporal, linguística e cultural existente entre a redação do texto bíblico e a leitura e a interpretação que fazemos hoje.
E por isso chamamos a atenção para a necessidade de uma leitura mais cuidadosa e não tão rápida e superficial, para que não ocorra uma interpretação equivocada e arriscada. Porque é natural entendermos o que lemos a partir de conceitos e da ideia que temos do mundo moderno em que vivemos, esquecendo-nos de que a Bíblia é formada por textos antigos, construídos num mundo diferente do nosso.
Dessa maneira, precisamos buscar o máximo de informações sobre o texto que iremos estudar. Tudo que o cerca, de modo especial o período em que foi escrito e qual contexto histórico que o influencia. Quanto mais informações tivermos a respeito dele [texto], tanto mais poderemos nos guiar pela regra literária citada no começo deste artigo: ler o texto dentro do contexto.
Mas como podemos saber mais sobre a época em que os textos bíblicos foram compostos e sob quais condições se deu esse processo de redação do texto que vamos ler?
É fácil. Basta consultarmos as nossas próprias Bíblias, pois elas nos fornecem essas informações. Precisamos conferir as introduções apresentadas antes de cada livro bíblico. Assim acontece, por exemplo, nas traduções da Bíblia, como a versão da TEB, da Bíblia Jerusalém e do Peregrino. Ou ainda, como na tradução da Bíblia Ave-Maria que traz logo na sua abertura um comentário sobre cada um dos livros bíblicos.
Essas introduções são muito importantes, pois nos dão informações preciosas a respeito do livro que vamos ler, informações estas muito úteis e práticas a respeito do período de composição do texto, sobre o contexto histórico no qual se deu essa redação, a qual grupo esse texto foi primeiramente dirigido, quem o redigiu, entre outros.
Caso tenhamos acesso a fontes confiáveis que podem, da mesma maneira e talvez de forma mais completa, nos fornecer essas informações, podemos e devemos utilizá-las, pois, como dissemos anteriormente, quanto mais informações temos do texto, tanto maior será nossa segurança de que o leremos dentro do contexto, evitando erros e equívocos. Mas, lembre-se: é importante que conheçamos bem essa literatura secundária utilizada para não consultarmos uma bibliografia que possa nos levar ao erro.
Um alerta aos que fazem uso da internet: muito cuidado ao buscar essas informações nesse espaço virtual. Não tenho nada contra a rede mundial de computadores; muito pelo contrário, sou usuário e a vejo como um facilitador da vida cotidiana. Mas, infelizmente, em se tratando de estudos bíblicos, a grande maioria das coisas que encontro nela possui muitos erros ou está ligada a outra doutrina diferente da católica.
Outro recurso apresentado pelas Bíblias, que além de nos auxiliar na compreensão dos textos, também nos fornece informações importantes sobre o conteúdo do que lemos são as notas de rodapé. Essas observações são muito valiosas porque são explicativas e por meio delas nos esclarecidas questões ligadas à língua, à geografia, à cultura, entre tantas outras coisas que facilitam o nosso entendimento deles. Muitos as ignoram, justamente por serem pequeninas, às vezes é difícil enxergá-las, mas elas estão ali para servir de auxílio para que o texto se torne mais acessível a nós que estamos distantes temporal, cultural e linguisticamente dos textos bíblicos.
Enfim, é necessário fazer uso desses recursos presentes nas nossas Bíblias, assim como das introduções nos livros e das notas de rodapé. Esses recursos fazem, de certo modo, parte da leitura e não podemos ignorá-los. A Igreja, e nossos tradutores, conhecem as distâncias entre nós e o texto e, consequentemente, sabem do risco de uma leitura fora de contexto. Ou seja, informações presentes na própria Bíblia, ainda que não sejam o texto bíblico propriamente dito, são não apenas importantes, mas necessárias para uma leitura da Palavra de Deus sem equívocos e que permita, verdadeiramente, nosso encontro com o sagrado.
Denis Duarte Especialista em Bíblia e Cientista da Religião.www.denisduarte.com

SERIE FALSAS DOUTRINAS


• A BÍBLIA CONDENA O ESPIRITISMO, OCULTISMO, BRUXARIA:


O espiritismo é a doutrina que acredita na reencarnação e na comunicação com os mortos. O próprio satanás é o fundador e guia do espiritismo. Ele busca imitar a Igreja de Deus e fazer muitas coisas para que os católicos achem que podem ser católico e espírita ao mesmo tempo, uma vez que a própria Palavra de Deus diz ser isso impossível (Mt 6,24). Existe o alto e o baixo espiritismo, segundo a classificação de alguns estudiosos. Era como se fosse a prostituta rica e a pobre: tudo é prostituição, mas há as várias opções para a escolha de cada um. O CIC proíbe veementemente a prática do espiritismo para os católicos: “Todas as formas de adivinhação hão de ser rejeitadas: recurso a Satanás ou aos demônios, evocação dos mortos ou outras práticas que erroneamente se supõe “descobrir” o futuro. A consulta aos horóscopos, a astrologia, a quiromancia, a interpretação de presságios e da sorte, os fenômenos de visão, o recurso a médiuns escondem um desejo de ganhar para si os poderes ocultos. Essas práticas contradizem a honra e o respeito que , unidos ao amoroso temor, devemos exclusivamente a Deus”. (Catecismo da Igreja Católica, n.2116). A Bíblia sagrada é lotada de passagens que condenam o espiritismo e suas práticas. Vamos ver apenas algumas: Ex 22,17; Dt 12,13;18, 9-14; 32,12-18; Lv 19,26.31; 20, 6.27; II Rs 9,22;16,3-4;17,17;21,6;23,10; Js 13,22; 23,7-8.16; 24,20.23; Mq 5,9-14; At 19, 18s; Hb 13,9...O espiritismo prega a doutrina da


REENCARNAÇÃO e COMUNICAÇÃO COM OS MORTOS:São dois ensinamentos totalmente anti-bíblicos. A reencarnação não existe uma vez que Jesus RESSUSCITOU e não se reencarnou. Hh 9,27 “nos diz que os homens morrem uma só vez e após isso vem o juízo”. Além disso, na cruz Jesus disse para o ladrão arrependido: “Hoje mesmo estarás comigo no paraíso”(Lc 23,43). Vemos também na parábola em que Lázaro vai para o seio de Abraão e o rico para as tormentas do inferno, que este pede ao menos uma gota de água por causa da temperatura do fogo. Jesus disse: “Além de tudo, há entre nós e vós um grande abismo, de maneira que os que querem passar daqui para vós não o podem, nem os de lá para cá” (Lc 16,26). Por tanto, reencarnação foi uma doutrina satânica inventada para nos afastar da Ressurreição de Cristo, uma vez que nos últimos dias os mortos irão ressuscitar para o julgamento (I Ts4,13-18). Não há, por tanto, reencarnação.


Quanto a COMUNICAÇÃO COM OS MORTOS, a Bíblia nos deixa bem claro que o que há nos ares do espaço são anjos ou demônios (Jo 1,51; Ef 6,12). É o próprio Satanás que se disfarça em anjo de luz para enganar os filhos de Deus (I Cor 11,14).Vemos também no espiritismo uma grande quantidade de pessoas que se colocam como servos de Satanás. Percebe-se muitas outras abominações que podem ser acrescentadas a lista do Deuteronômio: passes espíritas, superstições, oferendas espíritas, amuletos, banhos de descarrego, benzimentos, amarrações, demandas espíritas, águas energizadas, comidas consagradas, festas pagãs ocultas.


IEMANJÁ E COSME E DAMIÃO: Dentro do sincretismo, é uma festa de Nossa Senhora, que na realidade não tem nada a ver, pois Iemanjá é tido como a rainha dos mares, a conquistadora, a sedutora dos marinheiros, dos homens; quem participa desta festa são feitas oferendas a ela, come-se, bebe-se e toma-se passes e a pessoa se banha nestas águas (como um batismo de pertença a Satanás). Quanto a Cosme e Damião, é usado este nome dentro do sincretismo para confundir as pessoas, principalmente as crianças – na realidade tornam-se conhecidos como exús mirins ou ibejim (um demônio que se passa por criança), quando se participa dessa festa, permitindo-se tomar passes e ser tocado, comendo e bebendo coisas consagradas às entidades, então se contamina por inteiro. Muitas pessoas depois de ingerir esses alimentos começam a sofrer de dores no estômago, doenças emocionais de medo, doenças de sintomas físicos, mas tendo fundo espiritual.

COMIDAS E BEBIDAS CONSAGRADAS: Quando alguém participa de um ritual de magia, de uma sessão espiritual, de uma festa pagã, de um desenvolvimento de mediunidade, onde a pessoa se permite ser possessa por uma entidade (um exú, eguns, orixás, ou mesmo um espírito desencarnado), ela tem que submeter comer (cada um tem sua comida preferida), fumar, usar os colares, roupas, raspar os pêlos, fazer cortes no corpo; todas estas coisas são consagradas ao maligno e isto vai entrando na sua circulação, no seu sangue, em todo o seu metabolismo, no âmago da pessoa e às vezes as pessoas se envolvem com diversas destas entidades e isso torna sua vida terrível. Temos que tomar muito cuidado com todas essas coisas. Muitos pisam onde não sabem e praticam ações e rituais sem conhecimento do que há realmente por trás disso. Em I Coríntios 10,20-21 a Palavra de Deus nos diz:“As coisas que os pagãos sacrificam são sacrificadas aos demônios e não a Deus. E eu não quero que tenhais comunhão com os demônios. Não podeis beber ao mesmo tempo o cálice do Senhor e o cálice dos demônios. Não podeis participar ao mesmo tempo da mesa do Senhor e da mesa dos demônios”.Quando menos se espera, a pessoa está consagrada a Satanás. A Palavra de Deus nos fala que somente Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida (Jo 14,6) e que os que praticam essas obras são servos de Satanás (II Ts 2,9-10).


enviado por Cassio José( coordenador do Grupo Renascer)

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

FESTA DE SÃO FRANCISCO EM CAMOCIM

Com uma expectativa de público de milhares de devotos, tiveram início hoje, com encerramento previsto para o dia 04 de Outubro, os festejos alusivos a São Francisco. A multidão de fiéis, que cresce a cada ano, reflete a demonstração de fé e devoção ao santo que é considerado o patrono dos animais e do meio ambiente.


Este ano, o Conselho da Igreja de São Francisco adotou como tema "São Francisco semeando a paz e a justiça". A programação teve início hoje ao amanhecer com alvorada festiva e queima de fogos na praça São Francisco. Das 08:00h às 12:00h aconteceu a Adoração ao Santíssimo Sacramento, às 18:00h haverá uma procissão saindo do Posto Tijuca em direção à Praça de São Francisco, onde será levantada a bandeira. Finalizando a programação de hoje, às 19:30h haverá a Celebração Eucarística.


Veja abaixo a programação da abertura da Festa:

- DIA 24/09/2009 (QUINTA-FEIRA)
05h30 - Despertar com alvorada festiva na praça da Igreja de São Francisco. Queima de fogos.
08h às 12h - Adoração ao Santíssimo Sacramento
18h - Procissão saindo do Posto Tijuca
19h30 - Celebração Eucarística
"Senhor, fazei que eu procure mais consolar do que ser consolado, compreender do que ser compreendido, amar do que ser amado. Pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna." (São Francisco de Assis)


Com informações do Blog RCC Camocim
camocimonline.blogspot.com

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

São Pio de Pietrelcina dia 23 de Setembro


Este digníssimo seguidor de S. Francisco de Assis nasceu no dia 25 de maio de 1887 em Pietrelcina (Itália). Seu nome verdadeiro era Francesco Forgione. Ainda criança era muito assíduo com as coisas de Deus, tendo uma inigualável admiração por Nossa Senhora e o seu Filho Jesus, os quais via constantemente devido à grande familiaridade. Ainda pequenino havia se tornado amigo do seu Anjo da Guarda, a quem recorria muitas vezes para auxiliá-lo no seu trajeto nos caminhos do Evangelho. Conta a história que ele recomendava muitas vezes as pessoas a recorrerem ao seu Anjo da Guarda estreitando assim a intimidade dos fiéis para com aquele que viria a ser o primeiro sacerdote da história da Igreja a receber os estigmas do Cristo do Calvário.Com quinze anos de idade entrou no Noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos em Morcone, adotando o nome de "Frei Pio" e foi ordenado sacerdote em 10 de agosto de 1910 na Arquidiocese de Benevento.
Após a ordenação, Padre Pio precisou ficar com sua família até 1916, por motivos de saúde e, em setembro desse mesmo ano, foi enviado para o convento de São Giovanni Rotondo, onde permaneceu até o dia de sua morte.Abrasado pelo amor de Deus, marcado pelo sofrimento e profundamente imerso nas realidades sobrenaturais, Padre Pio recebeu os estigmas, sinais da Paixão de Jesus Cristo, em seu próprio corpo. Entregando-se inteiramente ao Ministério da Confissão, buscava por meio desse sacramento aliviar os sofrimentos atrozes do coração de seus fiéis e libertá-los das garras do demônio, conhecido por ele como "barba azul". Torturado, tentado e testado muitas vezes pelo maligno, esse grande santo sabia muito da sua astúcia no afã de desviar os filhos de Deus do caminho da fé. Percebendo que não somente deveria aliviar o sofrimento espiritual, recebeu de Deus a inspiração de construir um grande hospital, conhecido como "Casa Alívio do Sofrimento", que se tornou uma referência em toda a Europa.
A fundação deste hospital se deu a 5 de maio de 1956.Devido aos horrores provocados pela Segunda Guerra Mundial, Padre Pio cria os grupos de oração, verdadeiras células catalisadoras do amor e da paz de Deus, para serem instrumentos dessas virtudes no mundo que sofria e angustiava-se no vale tenebroso de lágrimas e sofrimentos.Na ocasião do aniversário de 50 anos dos grupos de oração, Padre Pio celebrou uma Missa nesta intenção. Essa Celebração Eucarística foi o caminho para o seu Calvário definitivo, na qual entregaria a alma e o corpo ao seu grande Amor: Nosso Senhor Jesusn Cristo; e a última vez em que os seus filhos espirituais veriam a quem tanto amavam. Era madrugada do dia 23 de setembro de 1968, no seu quarto conventual com o terço entre os dedos repetindo o nome de Jesus e Maria, descansa em paz aquele que tinha abraçado a Cruz de Cristo, fazendo desta a ponte de ligação entre a terra e o céu. Foi beatificado no dia 2 de maio de 1999 pelo Papa João Paulo II e canonizado no dia 16 de junho de 2002 também pelo saudoso Pontífice.Padre Pio dizia: "Ficarei na porta do Paraíso até o último dos meus filhos entrar!


"São Pio de Pietrelcina, rogai por nós!


GRUPO RENASCER- não deixe de conferi o Menu Pe Pio do nosso Blog

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.


Jesus me encontre


Vem me salva, faz me limpo, faz me santo, eu nasci só pra te amar, vem Tua vida em mim soprar.
Eu não vou me esconder...


Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.


Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.


De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim.


Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem.


Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.


Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim.Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo.

Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus;Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.


Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?


Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado.


(Carta de São Paulo aos Romanos 8, 14-26)
Livrai-me Senhor de todo mal. Amém!


Adaptação: Grupo Renascer

segunda-feira, 21 de setembro de 2009



A SANTÍSSIMA EUCARISTIA

Momento soleníssimo, de uma Solenidade Divina, aquele do Cenáculo, na noite de Quinta-feira Santa! O Mestre Divino está presente! Os Apóstolos fitam-No... Aquele Rosto, que deslumbrou, de majestade e luz, a Pedro, Tiago e João, no Monte Tabor, deslumbra agora a todos, de suavidade e de Amor!
A doçura é tal, como nunca viram tanta nos Seus Olhos, nem sequer na hora histórica e feliz em que chamou-os na praia do Tiberíades, para deixarem tudo - o mar, os barcos, as redes, a família, a sua terra, trocando a terra pelo Céu! -, quando disse: «Vinde Comigo, e Eu farei de vós pescadores de homens»! A atmosfera do Cenáculo está impregnada de Mistérios celestes... Perpassam asas de Anjos, vindos do Paraíso de propósito, para a primeira Adoração Eucarística, para a primeira Hora Santa ao Santíssimo Sacramento! E é esse Sacramento - Diviníssimo! - que é agora solenemente instituído... O Mestre Divino toma o pão, toma o cálice com vinho... Fita ainda uma vez os Seus Discípulos, os grandes Amigos, que cumpriram, ao seguirem a sua vocação, o primeiro Mandamento: «Amarás o Senhor, teu Deus, com toda a mente e de todo o coração»! Os doutores da Lei sabiam de cor este Mandamento (como os demais, escribas e fariseus...), mas não o cumpria... Não basta o conhecimento, exige-se também a vontade forte, generosa, heróica! Ao fitar os Seus Discípulos, porém, o olhar de Cristo pousa sobre Judas (Iscariotes)... Oh, que luta cruel se trava então no Coração Dulcíssimo do Mestre!... Aquele pérfido, dentro de momentos, será um sacrílego da pior espécie! Valerá a pena instituir a Santíssima Eucaristia?
Mas os Seus Olhos fixam depois João e os outros fiéis Discípulos... Vê então, através deles, a multidão de Almas comungantes, de Almas vítimas, que, através dos tempos, se abeirarão do Banquete Sagrado, com o ardor dos Serafins, com a pureza dos Anjos e Arcanjos... Vê a multidão de futuros famintos e doentes, de fracos e convalescentes, mais da alma do que do corpo, que precisarão do Seu Divino Sangue para se curarem, para se robustecerem, para se salvarem!... Recorda então a promessa que fizera: «O que come a minha Carne e bebe o meu Sangue tem a Vida eterna, e Eu ressuscitá-lo-ei no último dia» (Jo 6, 55). E o Amor venceu!... Depois de consagrar o pão, Jesus consagra também o vinho, e dá-O a comungar aos Seus Apóstolos (tal como fez com o Pão...), dizendo: «Este é o Meu Sangue, do Novo e Eterno Testamento, o qual será derramado por todos para a remissão dos pecados» (Mt 26, 28).
O mais sublime e misterioso Milagre estava consumado! E o Poder Divino de Cristo fora manifestado! A Fé recebia assim o selo inconfundível da Palavra de Cristo! Na Santa Missa, o Sacerdote oficiante ('alter Christus'), após a Consagração, ao tomar o cálice para a sua Comunhão, suplica: "Que o Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo guarde a minha alma para a Vida eterna. Ámém".

É que... o Sangue de Cristo está realmente presente na Santíssima Eucaristia. Presente e vivo. Vivo e vivificante! Por isso mesmo, a Comunhão Eucarística é uma "transfusão" (não metafórica, nem simbólica, mas real e mística...) de Sangue Divino, que fortalece e angeliza a Alma!...

enviado por Rosinha
fonte: http://nova-evangelizacao.blogspot.com

Missa Parte por Parte



LITURGIA EUCARÍSTICA



Na Missa ou Ceia do Senhor, o Povo de Deus é convidado e reunido, sob a presidência do sacerdote, que representa a pessoa de Cristo para celebrar a memória do Senhor.Vem a seguir o momento mais sublime da missa: é a renovação do Sacrifício da Cruz, agora de maneira incruenta, isto é, sem dor e sem violência. Pela ação do Espírito Santo, realiza-se um milagre contínuo: a transformação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue de Jesus Cristo. É o milagre da Transubstanciação, pelo qual Deus mantém as aparências do pão e do vinho (matéria) mesmo que tenha desaparecido a substância subjacente (do pão e do vinho). Ou seja, a substância agora é inteiramente a do Corpo, Sangue, a Alma e a Divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo, embora as aparências sejam a do pão e do vinho.


Procissão das oferendas

As principais ofertas são o pão e vinho. Essa caminhada, levando para o altar as ofertas, significa que o pão e o vinho estão saindo das mãos do homem que trabalha. As demais ofertas representam igualmente a vida do povo, a coleta do dinheiro é o fruto da generosidade e do trabalho dos fiéis. Deus não precisa de esmola porque Ele não é mendigo e sim o Senhor da vida. A nossa oferta é um sinal de gratidão e contribui na conservação e manutenção da casa de Deus.


Na Missa nós oferecemos a Deus o pão e o vinho que, pelo poder do mesmo Deus, mudam-se no Corpo e Sangue do Senhor. Um povo de fé traz apenas pão e vinho, mas no pão e no vinho, oferece a sua vida. O sacerdote oferece o pão a Deus, depois coloca a hóstia sobre o corporal e prepara o vinho para oferecê-lo do mesmo modo. Ele põe algumas gotas de água no vinho simboliza a união da natureza humana com a natureza divina. Na sua encarnação, Jesus assumiu a nossa humanidade e reuniu, em si, Deus e o Homem. E assim como a água colocada no cálice torna-se uma só coisa com o vinho, também nós, na Missa, nos unimos a Cristo para formar um só corpo com Ele. O celebrante lava as mãos, essa purificação das mãos significa uma purificação espiritual do ministro de Deus.


Santo

Prefácio é um hino "abertura" que nos introduz no Mistério Eucarístico. Por isso o celebrante convida a Assembléia para elevar os corações a Deus, dizendo Corações ao alto"! É um hino que proclama a Santidade de Deus e dá graças ao Senhor.O final do Prefácio termina com a aclamação Santo, Santo, Santo... é tirado do livro do profeta Isaías (6,3) e a repetição é um reforço de expressão para significar o máximo de santidade, embora sendo pecadores, de lábios impuros, estamos nos preparando para receber o Corpo do Senhor.


Consagração do pão e vinho


O celebrante estende as mãos sobre o pão e vinho e pede ao Pai que os santifique enviando sobre eles o Espírito Santo. Por ordem de Cristo e recordando o que o próprio Jesus fez na Ceia e pronuncia estas palavras "TOMAI...O celebrante faz uma genuflexão para adorar Jesus presente sobre o altar. Em seguida recorda que Jesus tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos dizendo: "TOMAI...... "FAZEI ISTO" aqui cumpre-se a vontade expressa de Jesus, que mandou celebrar a Ceia."EIS O MISTÉRIO DA FÉ" Estamos diante do Mistério de Deus. E o Mistério só é aceito por quem crê.



Orações pela igreja


A Igreja está espalhada por toda a terra e além dos limites geográficos: está na terra, como Igreja peregrina e militante; está no purgatório, como Igreja padecente; e está no céu como Igreja gloriosa e triunfante.Entre todos os membros dessa Igreja, que está no céu e na terra, existe a intercomunicação da graça ou comunhão dos Santos. Uns oram pelos outros, pois somos todos irmãos, membros da grande Família de Deus.A primeira oração é pelo Papa e pelo bispo Diocesano, são os pastores do rebanho, sua missão é ensinar, santificar e governar o Povo de deus. Por isso a comunidade precisa orar muito por eles. Rezar pelos mortos é um ato de caridade, a Igreja é mais para interceder do que para julgar, por isso na Missa rezamos pelos falecidos. Finalmente, pedimos por nós mesmos como "povo santo e pecador".Por Cristo, com Cristo e em CristoNeste ato de louvor o celebrante levanta a Hóstia e o cálice e a assembléia responde amém.



RITO DA COMUNHÃO



Pai nosso


Jesus nos ensinou a chamar a Deus de Pai e assim somos convidados a rezar o Pai-Nosso. É uma oração de relacionamento e de entrega. Ao nos abrirmos ao Pai, uma profunda sensação de integridade e descanso toma conta de nós. Como cristãos, fazer a vontade do Pai é tão importante para nosso espírito quanto o alimento é para nosso corpo.O Pai Nosso, não é apenas uma simples fórmula de oração, nem um ensinamento teórico de doutrina. Antes de ser ensinado por Jesus, o Pai-Nosso foi vivido plenamente pelo mesmo Cristo. Portanto, deve ser vivido também pelos seus discípulos.Com o Pai Nosso começa a preparação para a Comunhão Eucarística.

Essa belíssima oração é a síntese do Evangelho. Para rezarmos bem o Pai Nosso, precisamos entrar no pensamento de Jesus e na vontade do Pai. Portanto, para eu comungar o Corpo do senhor na Eucaristia, preciso estar em "comunhão" com meus irmãos, que são membros do Corpo Místico de Cristo.Pai Nosso é recitado de pé, com as mãos erguidas, na posição de orante.Pode também ser cantado, mas sem alterar a sua fórmula. após o Pai Nosso na Missa não se diz amém pois a oração seguinte é continuação.



A paz


Após o Pai-Nosso, o sacerdote repete as palavras de Jesus: “Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz”.A paz é um dom de Deus. É o maior bem que há sobre a terra. Vale mais que todas as receitas, todos os remédios e todo o dinheiro do mundo. A paz foi o que Jesus deu aos seus Apóstolos como presente de sua Ressurreição.Que paz é essa da qual fala Jesus? É o amor para com o próximo. Às vezes vamos à Igreja rezar pela paz no mundo, mas não estamos em paz conosco ou com nossas famílias. Não nos esqueçamos: a paz deve começar dentro de nós e dentro de nossas casas.Assim como só Deus pode dar a verdadeira paz, também só quem está em comunhão com Deus é que pode comunicar a seus irmãos a paz.Fração do pãoO celebrante parte da hóstia grande e coloca um pedacinho da mesma dentro do cálice, que representa a união do Corpo e do Sangue do Senhor num mesmo Sacrifício e mesma comunhão.



Cordeiro de Deus

Tanto no Antigo como no Novo Testamento, Jesus é apresentado como o "cordeiro de Deus".

Os fIéis sentem-se indignos de receber o Corpo do Senhor e pedem perdão mais uma vez.



Comunhão


A Eucaristia é um tesouro que Jesus, o Rei imortal e eterno, deixou como MIstério da Salvação para todos os que nele crêem. Comungar é receber Jesus Cristo, Reis dos Reis, para alimento de vida eterna.À mesa do Senhor recebemos o alimento espiritualA hora da Comunhão merece nosso mais profundo respeito, pois nos tornamos uma só coisa em Cristo. E sabemos que essa união com Cristo é o laço de caridade que nos une ao próximo. O fruto de nossa Comunhão não será verdadeiro se não vemos melhorar a nossa compaixão, paciência e compreensão para com os outros.



Modo de comungar


Quem comunga recebendo a hóstia na mão deve elevar a mão esquerda aberta, para o padre colocar a comunhão na palma da mão. O comungaste imediatamente, pega a Hóstia com a direita e comunga ali mesmo na frente do padre ou ministro. Ou direto na boca.Quando a comunhão é nas duas espécies, ou seja, pão e vinho é diretamente na boca.



Pós comunhão


Depois de comungar temos alguns preciosos minutos em que Nosso Senhor Jesus Cristo nos tem, poderíamos dizer, abraçados. Perguntemos corajosamente: Senhor, que queres que eu faça? E estejamos abertos para ouvirmos a resposta. Quantos milagres e quantas curas acontecem nesse momento em que Deus está vivo e presente em nós!



Rito final


Seguem-se a Ação de Graças e os Ritos Finais. Despedimo-nos, e é nessa hora que começa nossa missão: a de levar Deus àqueles que nos foram confiados, a testemunhar Seu amor em nossos gestos, palavras a ações.



Como receber a benção

É preciso valorizar mais e receber com fé a benção solene dada no final da Missa. E a Missa termina com a benção.


.

Qual a parte mais importante da Missa?É justamente agora a parte mais importante da Missa, quando Ela se acaba, pois colocamos em prática tudo aquilo que ouvimos e aprendemos durante a celebração, enfim quando vivenciamos os ensinamentos de Deus Pai.



enviado por Dysnei Thaim