RENOVAR 2018 EM CAMOCIM.

Confira a programação completa.....

O valor da adoração

Adorar a Deus não é pois um dever.....

CF 2018: “Fraternidade e a superação da violência”

A abertura da Campanha da Fraternidade 2018 (CF2018)....

Quaresma, tempo de jejum e Penitência

A Igreja nos propõe o jejum como uma maneira de nos educar......

VEJA NOSSOS ÁLBUNS DE FOTOS NO NOSSO FACEBOOK: facebook.com/gruporenascercamocim

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Igreja católica reconhece novo milagre em Lourdes: cura foi “repentina, instantânea,completa, duradoura e inexplicada”

A cura da irmã Bernadette Moriau, em 2008, aos 69 anos, vítima de uma doença grave, foi reconhecida como um milagre pelo bispo de Beauvais, no norte da França. Este é o 70° milagre em Lourdes admitido pela Igreja Católica.

A cura foi “repentina, instantânea, completa, duradoura e inexplicada no atual estado de nossos conhecimentos científicos”, segundo o Monsenhor Jacques Benoît-Gonnin em um comunicado divulgado pela igreja.

Bernadette Moriau nasceu em 1939 e entrou aos 19 anos para o convento em uma congregração de franciscanas na França, tornando-se enfermeira em 1965. Em 1966, aos 27 anos, ela começou sentir dores na coluna lombar e no nervo ciático. A freira passou por quatro operações sem sucesso. Ela foi obrigada a deixar a profissão e se movimentava com a ajuda de aparelhos.

Em julho de 2008, a irmã Moriau participou da peregrinação de sua diocese em Lourdes e recebeu a bênção dos enfermos. Ao voltar para o convento na Picardia, onde mora, Bernadette sentiu uma sensação “diferente” de relaxamento e calor em todo o corpo, “e ouviu uma voz pedindo para que ela retirasse todos os seus aparelhos”.

Vaticano confirma excomunhão de sacerdote que violou segredo de confissão.

A Arquidiocese australiana de Brisbane informou que um dos seus sacerdotes foi excomungado automaticamente depois de violar o segredo de confissão.

Assim indicou a Arquidiocese liderada por Dom Mark Coleridge em um comunicado divulgado em 7 de fevereiro.

A notícia do caso já foi divulgada por alguns meios, assinalando que foi o Papa teria excomungado Pe. Ezinwanne Igbo, quando na verdade foi o próprio sacerdote de origem nigeriana que incorreu na excomunhão automática.

O que o Vaticano fez foi confirmar a pena pela ofensa canônica cometida pelo sacerdote que servia na Paróquia Stella Maris, em Queensland, onde está localizada a Arquidiocese de Brisbane.

O caso teve início em 2016, quando a Arquidiocese recebeu várias reclamações sobre o sacerdote. Uma delas se referia a “uma ofensa canônica que resultou em excomunhão automática”.

Mensagem do Papa Francisco para a Quaresma de 2018



"Convido os membros da Igreja a empreender com ardor o caminho da Quaresma, apoiados na esmola, no jejum e na oração. Se por vezes parece apagar-se em muitos corações o amor, este não se apaga no coração de Deus!"

Opus Dei - Mensagem do Papa Francisco para a Quaresma de 2018
“Porque se multiplicará a iniquidade, vai resfriar o amor de muitos” (Mt 24, 12)
Amados irmãos e irmãs!
Mais uma vez vamos encontrar-nos com a Páscoa do Senhor! Todos os anos, com a finalidade de nos preparar para ela, Deus na sua providência oferece-nos a Quaresma, “sinal sacramental da nossa conversão”[1], que anuncia e torna possível voltar ao Senhor de todo o coração e com toda a nossa vida.
Com a presente mensagem desejo, este ano também, ajudar toda a Igreja a viver, neste tempo de graça, com alegria e verdade; faço-o deixando-me inspirar pela seguinte afirmação de Jesus, que aparece no evangelho de Mateus: “Porque se multiplicará a iniquidade, vai resfriar o amor de muitos” (24, 12).
Esta frase situa-se no discurso que trata do fim dos tempos, pronunciado em Jerusalém, no Monte das Oliveiras, precisamente onde terá início a paixão do Senhor. Dando resposta a uma pergunta dos discípulos, Jesus anuncia uma grande tribulação e descreve a situação em que poderia encontrar-se a comunidade dos crentes: à vista de fenômenos pavorosos, alguns falsos profetas enganarão a muitos, a ponto de ameaçar apagar-se, nos corações, o amor que é o centro de todo o Evangelho.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

O que você conhece da Quaresma? Faça o teste e descubra

A Quaresma começa hoje e você ainda está a tempo de testar seus conhecimentos sobre este período tão especial para os católicos
AQuaresma começa hoje e você ainda está a tempo de testar seus conhecimentos sobre este período tão especial para os católicos.

Responda às perguntas a seguir, com suas próprias palavras, e depois compare suas respostas com as que aparecem na segunda página.

1. O que significa a palavra “Quaresma” e em que consiste?

2. Quais são os dias de jejum e como eles são vividos?

3. Por que é feita uma cruz de cinzas na testa dos católicos, na Quarta-Feira de Cinzas?

4. Como se chamam os dias entre a Quarta-Feira de Cinzas e o 1º Domingo da Quaresma?

5. Cite 3 práticas de piedade que a Igreja recomenda na Quaresma.

Como surgiu o carnaval?

De onde vem o Carnaval? Alguns erroneamente dizem até que foi a Igreja Católica que o inventou...

Vários autores explicam o nome Carnaval, do latim “carne vale”, isto é, “adeus carne” ou “despedida da carne”; o que significa que no Carnaval o consumo de carne era considerado lícito pela última vez antes dos dias de jejum quaresmal. Outros estudiosos recorrem à expressão “carnem levare”, suspender ou retirar a carne.
Alguns etimologistas explicam as origens pagãs do Carnaval: entre os gregos e romanos costumava-se fazer um cortejo com uma nave, dedicado ao deus Dionísio ou Baco, o deus do vinho, festa que chamavam em latim de “currus navalis” (nave carruagem), de donde teria vindo a forma Carnavale. Não é fácil saber a real origem do nome.
Outras festas semelhantes aconteciam na entrada do novo ano civil (mês de janeiro) ou pela aproximação da primavera, na despedida do inverno. Eram festas religiosas, dentro da concepção pagã e da mitologia. Por exemplo, para exprimir o cancelamento das culpas passadas, encenava-se a morte de um boneco que, depois de haver feito seu testamento era queimado ou destruído. Em alguns lugares havia a confissão pública dos vícios, o que muitas vezes se tornava algo teatral, como por exemplo, o cômico Arlequim que, antes de ser entregue à morte confessava os seus pecados e os dos outros.
Tudo isso era feito com o uso de máscaras, fantasias, cortejos, peças de teatro, etc. As religiões ditas “de mistérios” provenientes do Oriente e muito difusas no Império Romano, concorreram para essas festividades carnavalescas. Estas tomaram o nome de “pompas bacanais” ou “saturnais” ou “lupercais”. Como essas festas perturbavam a ordem pública, o Senado Romano, no séc. II a.C., resolveu combater os bacanais e seus adeptos, acusados de graves ofensas contra a moralidade e contra o Estado.
Essas festividades populares podiam acontecer no dia 25 de dezembro (dia em que os pagãos celebravam Mitra (ou o Sol Invicto) ou o dia 1º de janeiro (começo do novo ano), ou outras datas religiosas pagãs.

Quando o Cristianismo surgiu encontrou esses costumes pagãos. Os missionários procuraram então cristianizar esses costumes, como ensinava São Gregório Magno, no sentido de substituir essas práticas supersticiosas e mitológicas por outras cristãs (Natal, Epifania do Senhor ou a Purificação de Maria, dita “Festa da Candelária”, em vez dos mitos pagãos celebrados a 25 de dezembro, 6 de janeiro ou 2 de fevereiro). Por fim essas festividades pagãs do Carnaval ficaram apenas nos três dias que precedem a Quarta-feira de Cinzas.

1 milhão de livros gratuitos para você baixar e ler quando quiser

Ótimas dicas, aproveite!

De janeiro pra cá, coloquei oficialmente o chapéu de incentivador da leitura. Por diversos motivos, acredito nessa causa e isso se relaciona perfeitamente com o meu lema de “simplificar o mundo dos negócios”.
Se as pessoas lessem mais, principalmente livros que são um dos formatos de conteúdo mais ricos, reinventariam menos a roda e aprenderiam com os erros e acertos dos outros. Isso ajuda muito a simplificar e não perder tempo!
Por que as pessoas não leem mais então? Nessa minha jornada, esbarrei com duas razões principais para isso. A primeira é o tempo, algo que que já desmitifiquei no artigo “como ler 1 livro por semana” e a segunda é o dinheiro.
Eu concordo que os livros em papel não são baratos no Brasil. Mesmo em sebos, alguns livros continuam caros. Porém, existe uma alternativa: diversos sites disponibilizam livros para download grátis de forma legal. Tudo bonitinho e dentro da lei para você não ser forçado a morar em Curitiba, “se é que você me entende”. 🙂
Sites para baixar livros grátis

“O Padre Pio está comigo nos exorcismos – e o diabo tem medo”

O arrepiante depoimento de um discípulo do pe. Amorth, um dos maiores exorcistas do último século

Ope. Piero Catalano é um discípulo espiritual do pe. Gabriele Amorth, falecido sacerdote italiano que era considerado um dos maiores exorcistas do mundo. O pe. Piero, que também é italiano, conta que, durante os exorcismos que realiza, recorre a relíquias de santos e invoca com grande eficácia o auxílio do Santo Padre Pio de Pietrelcina, a quem o diabo se refere como “o homem da barba” ou “Francesco Forgione“. Não é a primeira vez que um exorcista revela o quanto o diabo tem ódio e medo do simples nome do Padre Pio.

Oração para esta tarde

Resultado de imagem para NOSSA SENHORA DE LOURDEVinde em nosso auxílio, ó Senhor!

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio, agora e sempre.

Amém.

Hino

Ó luz, ó Deus Trindade,

ó Unidade e fonte:

na luz do sol que morre,

a vossa em nós desponte.

A vós de madrugada,

de tarde vos cantamos;

a vós na eternidade,

louvar sem fim possamos.

Ao Pai e ao Filho glória,

ao Espírito também,

louvor, honra e vitória

agora e sempre. Amém.

Quando estes ladrões “esfaquearam” a Eucaristia, não imaginaram o que aconteceria depois

No século XIV, em Bruxelas, na Bélgica, um comerciante tomou ódio da fé católica. Ele quis causar o máximo de dor aos católicos locais e elaborou um plano para roubar hóstias consagradas de uma igreja.
No meio da noite, um ladrão contratado por ele invadiu a igreja e roubou 16 hóstias do tabernáculo. O sujeito levou as hóstias para o comerciante, que as guardou em sua casa durante um tempo.
Na Sexta-feira Santa de 1370, as hóstias foram exibidas pelo comerciante para um grupo de amigos seus. Eles pegaram facas e começaram a cortá-las. Inesperadamente, as hóstias cortadas começaram a sangrar. Os ladrões ficaram aterrorizados. O sangue não parava de jorrar dos cortes. Eles, então, pegaram as hóstias e as levaram a um católico que eles conheciam.
Sentindo o peso da culpa sobre eles, os homens confessaram a história a um padre e foram denunciados para as autoridades locais.
As hóstias foram consagradas na Catedral de São Miguel e permaneceram lá até a Segunda Guerra Mundial. Ao longo dos séculos, o milagre se tornou uma devoção local. Foi um lembrete da real presença de Jesus na Eucaristia, ligando dramaticamente o sacramento aos acontecimentos da Sexta-feira Santa.

Com grande simplicidade, Bento XVI conta por que renunciou



No livro “Servo de Deus e da humanidade”, biografia de Bento XVI lançada em agosto de 2016 pelo teólogo italiano Elio Guerriero, o prefácio é assinado por ninguém menos que o Papa Francisco, que presta vibrante homenagem ao seu antecessor:

“Sua discreta presença e oração pela Igreja constituem um apoio e um conforto”.

Uma semana antes do lançamento dessa biografia, Bento XVI tinha concedido uma entrevista ao próprio Elio Guerriero, publicada pelo jornal italiano La Repubblica. O Papa Emérito evocou naquela ocasião, com grande simplicidade, as razões que o haviam levado à histórica decisão de renunciar.

“A renúncia me surgiu como um dever”
Bento XVI declarou, em referência à Jornada Mundial da Juventude que estava prevista para o ano seguinte à sua renúncia, no Rio de Janeiro:
Postagens mais antigas → Página inicial